7.11.13

Poemas de um Pôr do Sol à beira-mar em dia nublado - (Segundo)

Estes breves minutos
fizeram-se o melhor resumo do acaso
desmedido que é viver.

Assisto o ocaso de um dia nublado,
enquanto me atingem os sentidos
o barulho e o movimento recorrente
do vai-e-vem do mar sobre a areia.

Estar onde estamos é
acompanhar a decadência inevitável,
embalada pelos sons e visões
dos eternos retornos.

Postar um comentário