18.11.13

Poemas de um Pôr do Sol à beira-mar em dia nublado - (Quinto)

Dos papéis amassados do bolso,
esforço-me para compor algum poema.
Dos desejos sufocados que esboço,
não encontro, nos caminhos,
saída para a fuga desta cena.

Que venha de uma sexta que me grita doravante,
a ânsia do etílico.
E que ela arranque de minhas cordas
a agonia e o desejo de uma voz berrante,
que permitam o inesperado triunfante.
Postar um comentário