30.9.13

Sobre a importância de não dizer algo.

Quanta poesia há,
quando não há
nada escrito?

Quanto que foi dito
apenas com os não-ditos
que não saíram pela boca,
mas mancharam a alvidez
sólida da folha?

Quando tu não me ouves
nos interstícios dos assuntos
que conversamos,
Quando tu não me lês,
nas rotinas dos dias acelerados,
há poesia o bastante.

Assim reconhece-se os bons poetas.
Não pelo que escreveram.
mas pelo que omitiram.
Postar um comentário