14.3.14

Um microcosmo de vida em 26 estados.

Um rio, grande,
do norte ou do Sul,
ou pequeno,
não passa duas vezes no mesmo lugar,
não é, Heráclito?
O rio de janeiro não é o mesmo de fevereiro.
Você pode orar pra são Paulo,
pra santa Catarina,
pode até recorrer às instâncias superiores,
Espírito Santo, Filho ou pai.
Amém!
Não adianta: quem ama, ama parte.
Sempre há uma capa. Tudo é disfarce.
E mesmo que nos magoe às 16h00,
por conta desta parte falsa que existe até
na seriedade,
o outro ganhará as desculpas às 17h, às 18h00...
Dias desses foi comigo.
De fundo,
uma parte marrom do Niágara.
Na trilha, "Pernambucolismo", de Marisa Monte.
Para Nádia, após longa discussão inconveniente,
era importante ignorar minha presença e,
para isso, observava os carros que passavam à janela.
Não importava. Podia ser jipe ou fusca,
Dedicava-se ao seu trajeto com afinco.
A televisão no mudo.
O jogo do Flamengo reprisado e o corte da câmera
pegou o momento no qual fazia o mi, nas gerais, o trombonista.
O silêncio era um terror, ai! Mas o pior viria em seguida...
Aquela expressão tocante, instável no rosto alheio,
E uma vontade de me esconder num Mato Grosso, bem denso,
para que nunca mais ela me achasse.
Quantos acres ainda posso perder no coração para os seus acampamentos?
Entretanto, bastou que a sua primeira lágrima reprimida escorresse...
Alagou as artérias, átrios, ventrículos...
Afogou-me todo.
Procurei na amazon as quinquilharias para mostrar-lhe,
como que fingindo que não notei a tristeza rolando na maçã.
Ponderei o orgulho.
Se ararmos o engodo,
colhemos nesta seara o perdão.


Postar um comentário