27.12.12

Carta para a minha adolescência.

Gostaria de iniciar este escrito parafraseando Gonzaguinha: "eu apenas queria que você soubesse..." Pois é assim que me sinto com relação ao objetivo das linhas que virão.
O tempo verbal é perfeito "queria", pois já não há motivos para saberes nos dias de hoje, a não ser pelo próprio significado do verbo. Saber; tomar ciência. Então, para que tomes ciência, leia atentamente.
Todas as palavras ditas, as mensagens escritas, as verdades inauditas, os sentimentos despertados, os desejos incitados, os planos traçados, os lamentos indesejados, os erros perdoados, as ânsias estimuladas, tudo... Absolutamente tudo permanece até hoje. Até minha descrença é tua.
Há, em mim, um vazio que é, justamente, a parte de mim que foi embora contigo na última vez em que estivemos juntos. Na tua casa, se não me engano.
Nunca te esqueci. Mesmo quando disse esquecer. Pois só de saber de tua existência, tua figura já era indissociável da minha mente. Não consigo projetar a felicidade sem que você esteja presente.
Já tive todos os motivos, plausíveis e não plausíveis pra me desprender de você, mas não consigo. Ainda sinto a mesma tremedeira, o coração bater mais forte e a mão suar quando te imagino.
Continuo te amando do mesmo jeito e me arrependo de não ter ousado mais e aproveitado melhor tudo o que eu podia quando contigo.
Sinto inveja dos que te sentiram depois que eu passei e, se hoje, flerto contigo e me aproximo de alguma forma, é só um auto-engano, para que não pareças tão distante. Você foi o meu melhor, meu sentimento mais puro que nunca irá retornar, sendo este o meu maior pesar.
Despeço-me declarando que as palavras atabalhoadas aqui encontradas são intencionais. Mais um subterfúgio. Não queria falar com a cautela de um homem, com a técnica de um profissional. Queria falar com o impulso, com o coração. Como nos antigos poemas do teu tempo, atropelados e acelerados pelo café, ou simplesmente estimulados pelas caminhadas e pelos caminhos que pensávamos e fazíamos juntos. Por uma música especial, por um show marcante...
Espero que não me esqueças, pois sei que não voltas.


Um beijo e um abraço com todo o meu amor.
Postar um comentário