27.5.11

Sobre Influências.

Pois nem só de pão vive o homem, e nem só de criar vive o poeta. Há, nisso tudo, a inspiração, o modelo e as influências de todas as coisas que vivenciamos. Uma destas é a leitura.
Não sei se alguém já disse isso e nem sei se foi com estas palavras mas, cada vez mais, tenho considerado a leitura como uma das principais formas de encaminhar o processo utópico do conhecer-se. Além dos muitos textos que tenho lido por conta da fantástica combinação "obrigação/deleite", que a faculdade e o projeto de monografia nos proporcionam, não gosto de abandonar algo da literatura, que me proporcione apenas o segundo sentimento daquela dubiedade da graduação. Tenho, por isso, voltado minhas atenções para "O Senhor dos Anéis" de J.R.R. Tolkien, - através do www.trocandolivros.com.br, estou conseguindo montar a coleção básica dele - relendo o primeiro livro e partindo, posteriormente, para os outros dois.
Entretanto, devido à dificuldade física de se carregar para todos os cantos um livro de 1230 páginas, acabei tendo que escolher um dos livros que eu compro e armazeno no armário para ler depois. Hoje, por exemplo, o escolhido foi "Conheça Carlos Drummond de Andrade" de Lygia Marina Moraes. De 1977, o livro traz alguns dos poemas mais famosos do escritor e algumas questões que, creio eu, serviam como base de estudos para ensino básico. Comprei o livro por R$ 1,00 no sebo e  lhes ofereço um dos poemas mais lindos que já li e que, até hoje, eu não conhecia.

Cantiga de Viúvo - Carlos Drummond de Andrade

A noite caiu na minh'alma,
fiquei triste sem querer.
Uma sombra veio vindo,
veio vindo, me abraçou.
Era a sombra de meu bem
que morreu há tanto tempo.

Me abraçou com tanto amor
me apertou com tanto fogo
me beijou, me consolou.

Depois riu devagarinho,
me disse adeus com a cabeça
e saiu. Fechou a porta.
Ouvi seus passos na escada.
Depois mais nada...
                            acabou.
Postar um comentário