25.4.11

Reles Mortal.

Casei com uma deusa, vejam vocês!
Parece perfeito, mas de todo jeito,
A Deidade no leito,
Cansou-me de vez.

Divina ela é,
não posso negar.
Mas me enerva de tal jeito a danada, Minerva,
Que já deu pr'o matrimônio cansar.

Se digo que algo é certo, sendo errado,
Está arriscado até me ferir.
Vem ela de lá, com escudo, lança, armadura,
Cheia de frescura, pra me corrigir.

Sabichona, mandona,
Nas questões de casal,
Por bem ou por mal,
O último voto é o dela.

Essa é Minerva de Oliveira.
                 
"Ascendente em júpiter", ela me diz
Eu finjo que creio e só torço o nariz.

E me enerva de tal jeito a danada, Minerva,
Que já não vejo como mais justificar.

Explicar minha partida, minha fuga,
Pois diante de tanta gastura,
não tive outra escolha,
a não ser escapar.

Ausente de casa,
Horas do dia a caminhar,
Conheci uma dama,
que me fez renovar.

Pedi o divórcio à deusa imperfeita,
Com outra, agora, irei morar.

Espero que dessa vez valha a pena,
A moça comigo se chama Atena.
Postar um comentário